Luetil Neto

Eu sou Empreendedor

Luetil Neto

30 anos de experiência profissional adquirida em empresas nacionais e multinacionais, nas áreas Financeiras, Controladoria, Contabilidade, Logística, Planejamento Financeiro e Orçamentário, Custos, Contas a Pagar e Receber, Cobrança, Tesouraria e Departamento de Pessoal. Sendo em ramos da indústria e de prestação de serviços tais como: Metalúrgica, Produtos Químicos, Produtos Alimentícios, Pneumáticos, Jurídico, Tecnologia da Informação, Engenharia, Telecomunicações e Fitness.
O Coaching veio para complementar meus conhecimentos e surgiu no momento certo da minha vida. Com minha experiência no mercado de trabalho, as empresas e projetos em que trabalhei associados às técnicas do Coaching, poderei alavancar meus Clientes(Coachees) a alcançarem seus objetivos e potencializar seus resultados através do posicionamento de carreira. Trilhar um caminho através de planejamento, superação de obstáculos, autoconhecimento, excelência pessoal, motivação, equilíbrio e transformação.

  • RIO DE JANEIRO, BRASIL
  • +55 (21) 964 557 814
  • CONTATO@LUETILNETO.COM.BR
  • WWW.LUETILNETO.COM.BR
Me

O atendimento do coach

O atendimento é voltado para o público que busca:

Desenvolvimento Pessoal e Profissional 100%
Iniciar uma Carreira 100%
Recolocação Profissional 100%
Empreendedorismo 100%
Transição de Carreira 100%

Autoconhecimento

O autoconhecimento é essencial para que o indivíduo compreenda melhor suas ações e aquilo que influencia seus gostos, opiniões e relações interpessoais. Com o desenvolvimento do autoconhecimento, a pessoa é capaz de realizar mudanças fundamentadas e graduais que melhorarão seus hábitos e escolhas.

Clareza de Objetivos

Através do coaching individual, o coachee aprende a ter mais segurança com o autofeedback. Essa autoanálise estratégica é importante para que o indivíduo se questione com frequência sobre suas ações e pensamentos, para que leve uma vida mais equilibrada depois da conclusão do processo de coaching.

Ideias

A criatividade é essencial para levar a sua vida pelo caminho que você deseja. Afinal, às vezes encontramos percalços que precisam ser superados de maneira ousada. E é nesse momento que você precisa encontrar soluções e sugestões que possam ajudar você a continuar nessa caminhada em busca do sucesso.

Desempenho

Com a melhoria na gestão do tempo, do planejamento e da produtividade, o resultado é ganho no desempenho e nas atividades. Esse ganho pode vir pelo aprimoramento dos resultados, do aumento da qualidade, do índice de alcance dos objetivos ou outro aspecto que esteja ligado aos beneficios do coaching.

Competências

As competências comportamentais podem ser identificadas e iluminadas com o atendimento do coach. Esse levantamento traz luz para aquelas características ativas.

Preparações

O coach te prepara para entrevistas, elaborações de currículos, revisões e otimizações em perfis profisionais.

Gestão de Pessoas

O capital humano é muito importante para o andamento das atividades dentro de uma empresa e, diferentemente do que muitos gestores aplicam, o Coach define esse conceito garantindo-lhe o valor correto. A administração de pessoas pode ser facilitada gerando uma gestão mais produtiva e motivadora junto aos colaboradores.

Gestão de Tempo

Com a rotina agitada e diversos compromissos diários, é muito comum que grande parte das pessoas não consigam cumprir todas as atividades que gostariam todos os dias. Isso gera muito estresse pela insatisfação pessoal, cansaço, grande quantidade de afazeres e a sensação de que nunca se consegue fazer tudo o que gostaria. Dessa forma, saber fazer uma gestão do tempo é essencial para o desenvolvimento pessoal, assim como para o crescimento profissional.

Foco

Foco é a capacidade que o indivíduo tem de aproveitar, sem desperdícios e procrastinação, a força natural disponível e acessível a qualquer pessoa.

0
PROJETOS CONCLUÍDOS
0
ATENDIMENTOS NO MOMENTO
0
PESSOAS GERENCIADAS
0
CLIENTES ATENDIDOS
  • Conexões para o sucesso


    As pessoas estão mais conectadas do que nunca por meio das redes sociais, mais o networking continua negligenciado.

    Nunca foi tão fácil, como hoje, fazer networking. As redes sociais, os smartphones e os notebooks garantem comunicação eficiente em qualquer tempo e lugar. Com eles, ficou mais fácil encontrar uma pessoa, entrar em contato e iniciar um relacionamento profissional. Mas, apesar da alta conectividade do mundo, boa parte dos profissionais ainda descuida da construção e manutenção de sua rede de conhecidos. Uma parcela da culpa é da própria tecnologia, as pessoas substituíram parte do que faziam pessoalmente, no café do corredor da empresa ou no happy hour, por interações digitais whats app, twitter, facebook ou telegrama.
    Mas o fato é que o hábito de sentar e conversar com as pessoas e criar vínculos consistentes está sob ameaça. A questão é mais séria entre os jovens. Algumas companhias já detectaram que alguns profissionais que ingressaram no mercado de trabalho recentemente têm maior resistência a situações coo chamar o chefe para conversar e menos habilidade para tecer os lações do networking eficiente. “Só existe networking se Você cria um vínculo coma as pessoas que quer conhecer, se elas sem lembram de você quando telefonar para elas.”

    Os mais velhos levam vantagem com relação ao tipo de relacionamento que têm com seus pares, pautado por um maior grau de intimidade. Em contrapartida, não costumam se sentir confortáveis em buscar o relacionamento com pessoas desconhecidas e não tem hábito de usar ferramentas tecnológicas para registrar e organizar listas de contatos. Seja pela sobrecarga de trabalho, seja pela acomodação, muitos negligenciam a rede de contatos. A partir de certa idade, cultivar relacionamentos é ainda mais crítico para uma recolocação profissional.
    O networking não é uma prática momentânea, que se encerra após a listagem e organização de sua série de contatos. Fazer networking é uma atitude que exige convivência e traz benefícios para todas as partes. Você se relaciona onde quer que esteja: na fila do banco, no lançamento de um livro, numa ONG, em palestras, na cozinha trocando receitas ou até na porta do colégio dos filhos. Mas como aproveitar essas oportunidades para construir um networking eficaz? A questão, então é, buscar o networking correto, que use tecnologia de maneira inteligente e ética para desenvolver relacionamentos reais e de benefícios mútuos fora da rede.

    O PASSO A PASSO DAS REGRAS DA VIDA EM REDE

    1.  CONTANILIZE O SEU CAPITAL SOCIAL – Mesmo quem não pratica o networking de forma consciente tem sua rede de relacionamento. Para saber o tamanho dela, comece a listar os seus contatos – amigos, parceiros de trabalho, ex chefes, colegas de trabalho etc. Pesquise agendas novas e antigas, cartões de visitas, fotos, convites de formaturas e e-mails trocados.
    2.   NÃO MIRE SÓ O ALTO – Não selecione apenas profissionais de cargos altos para sua rede. Procure pessoas que estão na mesma posição que você, com desafios semelhantes. Isso vai favorecer a ajuda mútua e o acesso a informações relevantes para o seu posto.
    3.     ORGANIZE-SE – Transcreva tudo que souber ou vier a descobrir de seus contatos e das pessoas que gostaria de adicionar à sua rede. Nome completo, aniversário, telefone, endereço físico e eletrônico, além de informações que podem ajuda-lo a retornar o contato em ocasiões futuras. Isso o auxiliará a ser atencioso e a não causar gafes, trocando os nomes e se esquecer com quem está falando.
    4.  SEJA PROATIVO – Tome a iniciativa de fazer visitas, telefonar, marcar encontros. Aproveite oportunidades de convivência: frequente de vez em quando o happy hour de trabalho, participe de palestras e cursos de atualização na sua área. Nesses eventos, também vale a pena identificar outras pessoas que estão sozinhas e puxar conversa. Se não puder comparecer, mande um e-mail agradecendo o convite.
    5.    COMO ABORDAR UM CONTATO NOVO – Uma estratégia é pedir para um conhecido para que faça a apresentação. Se não houver um intermediário, procure se informar com antecedência o máximo possível sobre as atividades do seu alvo. Assim, vai ficar mais fácil puxar conversa comentando sobre algo que lhe chamou atenção no blog dele, numa entrevista que ele deu ou mencionando que tem acompanhado o trabalho dessa pessoa. Outra estratégia é citar pontos de convergência, como amigos ou interesses em comum. Também é muito eficaz um PITCH de elevador, mencionando, nome, empresa em que trabalha, problema que resolve e solução para problemas.
    6.      E PELA INTERNET? – Numa rede social, nunca convide um desconhecido apenas para aumentar o tamanho da rede. Se for fazer um primeiro contato virtualmente, escreva uma breve introdução ao seu convite. De forma resumida, envie uma mensagem e explique por que gostaria de adicionar aquela pessoa e peça permissão. Se tiver e puder mencionar conhecidos em comum, melhor ainda. Depois, procure a pessoa para marcar uma conversa e se apresentar pessoalmente.
    7. AS MELHORES REDES SOCIAIS – Para pesquisar contatos, montar e organizar sua rede o Linkedin costuma ser a ferrramenta favorita. Ela facilita a busca por perfis profissionais e segmentos, já que os participantes podem compartilhar seus currículos. O Twitter permite um jeito ágil de cultivar sua rede, porque os posts curtos não consomem tanto tempo e existe um clima de abertura para as pessoas se comunicarem. O twitter também pode aumentar sua visibilidade em atrair novos contatos, pois há possibilidade de encaminhar os posts para terceiros por meio dos membros de sua rede.
    8.    É DANDO QUE SE RECEBE – O networking é um jogo em que todos ganham, portanto, não use sua rede apenas em benefício próprio – retribua. Para contar com o apoio dos demais num momento de necessidade, esteja disponível para ajudar, mesmo aquelas pessoas que não integram diretamente a sua rede. Procure responder as dúvidas dos colegas, dê sugestões de como solucionar um problema, faça a ponte entre duas pessoas. Sua atitude positiva é um investimento de longo prazo.
    9.    SEJA REFERÊNCIA – Ter um blog ou difundir informações por meio do Linkedin ou twitter são boas formas de atrair pessoas que se identificam com o que diz. Se você se sente capaz de produzir conteúdo de qualidade sobre a atividade que exerce, pode se transformar em referência em determinado assunto, ganhando credibilidade e visibilidade.

    Veja também o artigo Sua imagem no Linkedin

  • Estudo revela as características do idoso do século XXI

    Uma nova terceira idade está surgindo. Entender esse novo cenário traz oportunidades para empresas e novas perspectivas para a vida dos idosos
    A imagem do idoso sedentário e acomodado está ficando no passado. A faixa etária que mais cresce no Brasil já enxerga a perspectiva da chegada aos 100 anos, faz parte da primeira geração de mulheres dedicadas exclusivamente à carreira a se aposentar e busca envelhecer ao lado dos amigos. As pessoas acima de 60 anos estão mais ativas e sociáveis e querem ser mais participativas na sociedade. A idade é vista como um renascimento, apesar da dificuldade de se planejar e pensar no longo prazo – resultado de experiências e dificuldades vividas em tempos de recessão.
    Isso é o que revela um estudo conduzido pela Consultoria Estratégica IN, que apresenta novas perspectivas sobre o comportamento da terceira idade no século XXI.  Segundo Fábio Milnitzky, CEO da IN e responsável pela pesquisa: “o conhecimento a respeito da terceira idade no Brasil ainda é um campo em formação e está se transformando neste exato momento. Entender e trabalhar com esse novo cenário, conhecendo as necessidades e desejos que nascem com ele e monitorando a sua evolução, traz oportunidades, diferencia as empresas e possibilita a construção de um relacionamento que pode trazer um impacto real para a vida dessa geração”.
    Conheça as nove principais características do novo idoso:
      1 – A terceira idade é vista como um renascimento
    As responsabilidades e a pressão diminuem com a idade: os filhos já estão criados e muitos objetivos já foram alcançados. Lidar com essa nova fase, diferente de tudo o que viram antes, é considerado o renascimento para uma nova vida.
    2 – Existe uma dificuldade com o planejamento de longo prazo
    Planejamento e longo prazo não são parte do cotidiano dessa geração, que prefere viver um dia após o outro, sem muito compromisso, como consequência da diminuição das responsabilidades e também do contexto em que cresceram.
    3 – Viagens e estudos são muito desejados, mas pouco realizados
    Entre as atividades que a terceira idade mais gostaria de fazer destacam-se viajar e estudar. Hoje, essas atividades não acontecem por dificuldades financeiras ou limitações de saúde. Modelos flexíveis e acessíveis poderiam ajudá-los a concretizarem seus desejos.
     4 – Grupos menos convencionais começam a ganhar relevância
    O arquétipo do idoso tradicional – sedentário e acomodado – está cada vez mais distante. Existem grupos que buscam o envelhecimento saudável e ativo e optam por um estilo de vida que inclui esportes, saída com amigos e viagens sempre que possível. Alguns escolhem, inclusive, morar juntos como forma de se ter companhia e auxílio.
    5 – Quarta idade faria mais sentido!
    Quando a população tinha uma expectativa de vida mais baixa, o termo terceira idade, para classificar pessoas acima de 55 ou 60 anos, parecia adequado. Hoje, com pessoas esperando viver até os 100 anos, ele é pouco representativo. Uma pessoa de 60 anos não se identifica como parte do mesmo grupo de uma pessoa com mais de 80. Assim, os próprios entrevistados concordam que o termo quarta idade faria mais sentido.
     6 – Individualidade acima de tudo
    A melhor forma de se referir a alguém da terceira idade é chamando pelo próprio nome ou por características que digam respeito à sua própria personalidade, e não à sua idade, evitando rótulos. O termo mais bem aceito é experiente. Outros termos aceitos são senhor(a), idoso e terceira idade. Os menos aceitos são: melhor idade, maduro, ancião, tio(a) e velho(a).
    7 – As imagens devem ser bem cuidadas e aspiracionais
    Uma série de cuidados devem ser tomados na escolha de imagens para comunicações com a terceira idade para que não causem repulsa. Ambientes com muito branco, por exemplo, são associados a hospitais. As imagens devem ser aspiracionais e próximas dos interlocutores. A escolha das pessoas, sua expressão e posição na imagem, o ambiente do entorno e as cores da comunicação devem ser escolhidas com cuidado.
     8 – Design a favor da inclusão
    Ambientes acessíveis vão muito além de barras de apoio em banheiros separados. O verdadeiro design inclusivo é aquele que funciona para diferentes públicos ao mesmo tempo, sem segregação – os idosos do século XXI querem usar os mesmos ambientes que todo mundo. Sinalizações grandes e com um contraste relevante, rampas que acompanham escadas, balcões de atendimento com variações de altura e mesas acessíveis são exemplos de boas práticas que devem ser consideradas pelo mercado.
    9 – Aposentadoria, não!
    Mais que um meio de ganhar salário, o trabalho é uma forma de construir a vida social, ter relações, conversas, se sentir informado e participando da sociedade. Nas classes mais baixas as pessoas continuam trabalhando na velhice por necessidade; já pessoas que possuem maior tranquilidade financeira trabalham por desejo. Nos dois casos existem aspectos simbólicos de pertencimento e reconhecimento como útil. Ninguém gosta de ser considerado inútil ou um peso morto.
    Texto: IN Consultoria  Estratégica
    Estudo: IN realizou pesquisa qualitativa com 200 pessoas com idades a partir de 60 anos, utilizando dinâmicas de grupos, grupos focais, entrevistas em profundidade, entrevistas com especialistas no tema e análise de dados sobre o tema (desk research). O perfil demográfico definido: homens e mulheres das classes A e B, responsáveis ou corresponsáveis pelas compras no domicílio e com renda familiar entre 3 e 10 mil reais. O campo foi feito em São Paulo, a análise e os estudos em todo o Brasil, incluindo referências do exterior.
  • Se você não priorizar o que fazer na sua vida, alguém irá priorizar para você

    Priorizar é uma característica dos grandes líderes. Eles definem sua prioridade e com isso falam não para todo o resto.
    Eles definem o rumo da vida dele, e não deixa mais ninguém interferir nisso.
    Eles sabem o que devem fazer, eles conhecem o que é essencial, e focam nisso, dia após dia.
    PRIORIDADE, O CONCEITO QUE VOCÊ PRECISA ENTENDER
    Quais são suas prioridades do dia?
    Se você tem uma resposta para essa pergunta, talvez você esteja fazendo isso errado.
    A palavra prioridade surgiu por volta dos anos 1400, e apenas por volta de 1900 passou a existir no plural, mas isso nunca deveria ter acontecido.
    As pessoas querendo ser mais produtivas, começaram a definir diversas prioridades, mas na verdade deixaram de lado a essência do conceito.
    Prioridade é singular, vem de priori, de primeira coisa.
    A prioridade é aquilo que é mais importante, a única coisa que se você alcançar na sua vida terá feito sua vida valer a pena, que se você realizar no seu dia, fará dele grandioso.
    Se você analisar grandes gênios, verá que eles tinham uma única prioridade. Uma prioridade na vida. E você aí tem 6 prioridades na sua lista de tarefas do trabalho só para hoje.
    Grandes talentos quando deixam de perseguir unicamente o que é essencial, de focar apenas na sua prioridade, e começam a dar atenção as mídias, as pessoas, as opiniões, costumam perder o foco e limitar seus resultados.
    E você, talvez todos os dias dê ouvidos para as mídias, deixe sua vida ser conduzida por opiniões do Instagram, ou por likes do Facebook.
    Tudo bem, já fiz e ainda faço bastante isso… você não precisa ser o melhor do mundo no que você faz, talvez não seja esse seu sonho, mas provavelmente você quer ser um pouco mais produtivo, e pode ser um pouco mais aprendendo sobre prioridade, e sobre tomar as suas próprias decisões.
    A verdade é que tudo começa aprendendo a falar não.

    INSERINDO O NÃO NO SEU VOCABULÁRIO

    Você sabe que você realmente está começando a ir no caminho da sua prioridade quando se vê obrigado a falar não para algumas coisas.
    Falar não para amigos, para algum lazer. Falar não para uma oportunidade bacana. Falar não para uma atividade que pode gerar crescimento profissional.
    Prioridade tem um preço. E esse preço é falar não para muitas coisas.
    Não me entenda errado, não significa que você vai abrir mão de tudo. Mas que vai saber selecionar.
    Se você quer ser um empresário, não significa abrir mão de ir para a academia, e ficar trabalhando 14 horas por dia. Significar ir para a academia, pois estar com a saúde boa vai fazer você render em 8 horas de trabalho mais do que aqueles que ficam 14 horas sentados em frente ao computador.
    Mas falar não significa ser criticado, por algumas pessoas que não compreenderam seu verdadeiro propósito, não compreenderam o que é essencial para você.
    Eles não sabem que para conseguir se dedicar ao que realmente importa você precisa tirar de perto tudo que lhe rouba tempo e energia.
    Você precisa falar não, pois esse é um sinal de que você está no controle das suas decisões.

    ESTEJA NO CONTROLE DE SUAS DECISÕES

    Quanto mais não você fala, mais controle você tem nas suas decisões.
    Falar sim é muito fácil. Mas quando você fala sim para alguém, você está topando algo que alguém planejou, com base nas necessidades dele, nos sonhos dele, no propósito dele, nos prazeres dele.
    Quando você fala não, você esta dizendo sim para todo o resto que você sente como sendo fundamental para você, como sendo sua essência.
    As decisões estão sendo tomadas o tempo todo. A cada minuto você escolhe ir a caminho da sua prioridade, ou se afastar dela.
    Seja por uma decisão sua, ou por dizer sim a uma decisão de outra pessoa.
    Passe a falar mais não, e passe a trazer mais pessoas que dizem sim aos seus projetos, as suas ambições, a sua prioridade.
  • Como romper barreiras no trabalho e conseguir o espaço desejado?

    Quantas vezes em nossa vida profissional nos vemos com dificuldades de relacionamento com pares, com a chefia imediata ou com subordinados sem termos a clareza do motivo.
    Em minha trajetória profissional , digo sem medo de errar que 80% deste problema tem a raiz na comunicação.
    Uma palavra mal colocada, a linguagem corporal, o tom de voz, a prontidão da resposta, a ansiedade, etc… podem criar barreiras do tamanho da muralha da China.
    Para deixar mais claro a situação, vamos mudar o cenário e analisar o contexto a seguir:
    – Você confiaria em um médico, quando em sua primeira consulta ao você relatar fortes dores abdominais, ele imediatamente, prescrevesse um medicamento e concluísse a consulta?
    Provavelmente sua resposta será não. Existe a expectativa de um diagnóstico, de uma anamnese, de um processo investigativo e acima de tudo que o médico perceba sua presença e olhe com atenção para você.
    Quando ele rapidamente, sem te escutar define o tratamento, certamente isso irá te deixar inseguro, a forma da condução não gera segurança e confiança. E quando não existe confiança não existe diálogo, fica impossível ter uma relação, em todos os níveis.
    Pois bem…. assim nos comportamos em nosso dia a dia por inúmeras vezes!
    Na pressão do dia a dia corporativo, com uma agenda apertada em reuniões e prazos para entrega de material, quando nos damos conta já estamos fazendo como o médico acima.
    Esta atitude gera um desconforto pois não cria segurança!
    Então, como vamos conquistar a confiança e a aceitação do outro?
    Primeiro passo –  identifique o perfil da pessoa que quer gerar confiança:
    1) Visual – As pessoas com o perfil visual são pessoas que têm um cuidado extremo com a aparência. Combinam cores e acessórios, estão sempre impecáveis.  Esta pessoa entende o mundo observando, se atentando a pequenos detalhes, valorizando a organização e o método. Entende mais vendo do que ouvindo.
    2) Auditivo – São pessoas atentas às palavras que utiliza, bem como interpreta todas as palavras que escuta. Existe um cuidado também com o tom da voz utilizado para se expressar.
    3) Cinestésico – Os cinestésicos estão atentos ao cheiro, à qualidade do material, à sua textura, à limpeza, etc… Eles estão conectados às sensações e estímulos disponíveis no ambiente.
    Segundo passo Adapte-se ao estilo de cada um.
    1) Visual – Cuide com sua apresentação pessoal e com a forma que apresenta seus trabalhos para esta pessoa. Tudo deve ser harmonioso e cuidadosamente feito.
    2) Auditivo – Perceba quais palavras deve ou não dizer, qual o tom de voz adequado e ainda como deve desenvolver sua narrativa.
    3) Cinestésico – Seu perfume, a temperatura da sala, a limpeza e a conservação dos materiais envolvidos nos processos precisam ser cuidados.
    Muitas vezes identificar o perfil da pessoa é mais fácil do que adaptar-se a ele. Então sempre esteja atento à forma como as pessoas, que  mais valoriza agem. Ao buscarmos esta referência vamos encontrando repertório para sermos mais bem-sucedidos e conquistar a confiança que precisamos para fazer um bom trabalho.
    O inconsciente aceita somente o que é parecido com ele. Quando nosso ouvinte nos identifica como igual, algumas barreiras já se desfazem automaticamente.
    Ao nos adaptarmos ao estilo do ouvinte, estamos emitindo estímulo para o inconsciente dele e a resposta deste processo é a aceitação.
    O grande desafio é a flexibilidade. Uma habilidade que é cada vez mais requisitada pelas organizações nos mais diferentes níveis hierárquicos.
    Esta pequena explicação que fiz, na verdade é a soma de duas poderosas técnicas: Rappot e ERDIR.
    Cópia de Cópia de Cópia de Ana Paula Frizzo (4)Cópia de Cópia de Cópia de Ana Paula Frizzo (3)
    A mente é como nossa casa, ninguém entra sem ser aceito.
    Crie confiança e abra portas.
  • O futuro dos empregos

    O mundo está mudando, uma nova revolução já começou e o futuro dos empregos precisa ser estudado. Você pode não fazer nada, ou estar preparado para ela.
    Nem tudo no futuro é ruim, tampouco tudo é ótimo. Você irá concorrer com robôs, mas eles não serão melhor do que você em tudo.
    Saiba mais sobre o futuro dos empregos.

    O futuro do trabalho
    O QUE DEVE SUMIR
    Nem tudo vai ficar como está. Muitos empregos já estão desaparecendo. Não é uma questão de tempo. Está acontecendo hoje essa revolução. E ela não começou agora, ela está apenas acelerando.
    Essa revolução e o que ela vai causar, ja vem acontecendo a anos, muitos apenas não querem enxergar.
    A lista amarela para buscar uma informação não existe mais, você usa o google. Os classificados são cada vez menos utilizados para anunciar.
    As informações já mudaram do mundo offline para o online e tiraram muitos empregos, mas agora as máquinas estão chegando também no mundo offline.
    As vezes me perguntam, quais profissões vão sumir, quais profissionais estão ameaçados?
    Algumas respostas são bastante óbvias, outras nem tanto. Mas eu costumo falar que:
    Se você se sente como um robô fazendo as suas atividades, provavelmente um robô irá tomar o seu lugar.
    Seu trabalho pode ser sistematizado, e é repetitivo? Um robô pode tomar o seu lugar.
    Mais do que isso, se o seu trabalho consiste em ser um intermediador de algo? Uma plataforma pode tomar o seu lugar.
    Mais do que o óbvio, como telemarketing, carteiro, contadores… muito mais empregos estão em jogo.
    E mais do que atividades sistêmicas, a inteligência artificial chega para tomar outros empregos que não tínhamos pensado.
    Pense… uma maquina / robô / sistema ou plataforma consegue executar as suas principais tarefas?
    Então é importante você estar de olho nos empregos que podem surgir ou preparado para a revolução que já começou

    O QUE DEVE SURGIR
    Nem tudo é escuridão no futuro dos empregos.Existem novas oportunidades que surgem todos os dias com as mudanças.
    Algumas mais óbvias, como na saúde ou serviços para a terceira idade, com o aumento do número de idosos.
    Outras nem tanto, como coachs e “personais”.
    Cada vez as pessoas precisam aprender mais coisas e mais rápido, talvez o ensino personalizado, via mentores seja um caminho que vem crescendo.
    Personal Trainer é cada dia mais comum, mas e nas outras áreas?
    Já temos personal organizers, personal chefs. Que cuidam da sua organização, seu guarda roupa, sua comida.
    Mas e personais da saúde? Cada vez você terá mais dados de saúde na palma da sua mão. Hoje você já monitora facilmente várias métricas e consegue saber se algo de errado está acontecendo.
    E um personal na área de tecnologia. Tudo está mudando rápido, será que você tem que aprender tudo ou alguém pode ser seu auxiliar nisso?
    Coachs também tem um aumento de demanda. E isso tem como fundamento algo bem peculiar.
    Cada vez mais as pessoas estão trabalhando de casa, interagindo com as tecnologias, fazendo tudo remoto, e isso às vezes as separa dos humanos.
    A necessidade de interação humana gera uma nova área de oportunidades, que coachs acabam explorando.
    E as máquinas, que novas demandas vão nos trazer?
    Certamente vamos precisar de gestores de relacionamentos humanos-máquinas, ajudando cada um a entender o seu papel e se relacionar de forma correta.
    Ninguém está a salvo, ninguém está perdido. Mas existem algumas características de te deixam em vantagem competitiva.

    SE PREPARANDO PARA O FUTURO DOS EMPREGOS
    O futuro dos empregos irá separar os preparados dos superados.
    Você precisa estar pronto, e a melhor forma de fazer isso é desenvolvendo algumas habilidades que não devem facilmente ser substituídas.
    Aprender a planilhar dados no excel não parece uma ideia genial para tentar superar uma máquina. Mas se criativo, essa sim é uma característica que a máquina terá mais dificuldade em te superar.
    Criatividade significa fugir dos padrões e das respostas pré-definidas, o que é difícil para uma máquina que tem suas respostas pré-definidas para conseguir funcionar.
    Saber se conectar e se relacionar com as pessoas é outra característica fundamental. A máquina levará algum tempo para ter empatia, para conseguir interpretar emoções, stress e entender comportamentos humanos com compaixão.
    Mais do que entender os comportamentos dos outros, a capacidade de se conectar consigo mesmo é algo que só você terá. A inteligência intrapessoal, dominar suas emoções, manter o equilíbrio é algo que fará a diferença para os profissionais do futuro.
    E também temos a inteligência interartificial, que consiste na capacidade de reconhecer as limitações humanas, as limitações das máquinas e conseguir extrair o melhor dos dois, saber como conciliar as tarefas entre as diferentes inteligências e entender seus potenciais.
    Mais do que ter medo das máquinas e da inteligência artificial, o importante e entender tudo isso, se preparar e estar disposto a mudar.
    Quem quiser continuar fazendo a mesma coisa que faz pelo resto da sua vida tem grande chance de ser superado por um robô.
    Precisa de ajuda? Não sabe como se preparar e se posicionar neste novo mercado? Deixe seu comentário e entre em contato, como Coach poderei ajudá-lo a se preparar para este novo mercado.

  • Qual o real problema em contratar pessoas acima dos 40 anos?

    Tenho lido inúmeras matérias e ouvido vários depoimentos sobre o fato das pessoas acima de 40 anos não terem mais chances ou terem chances mínimas no mercado de trabalho, pois de fato, o número de pessoas nesta faixa etária desempregada é muito alta.

    Mas o que dizem as empresas, o que dizem o RH das empresas? O que dizem as empresas de recolocação?

    Devemos aproveitar o momento vivido pelo país, onde está se clamando por justiça, fim da corrupção, melhorias na saúde e na educação e discutirmos também este tema. Temos excelentes profissionais acima de 40 anos desempregados, enquanto outras pessoas com qualificação e conhecimento menor estão empregadas, criando com isso, os grandes problemas que enfrentamos hoje referente a gestão, a atendimento e assim por diante.


    Emprego acima dos 40 anos?

    Enxergo o mercado de trabalho, onde todos devem ter suas oportunidades, mas claro que devem haver critérios de recrutamento e seleção, porém nunca devemos descartar profissionais por idade, por sexo, por cor de pele, por preferência sexual e nem por qualquer tipo de deficiência. As pessoas contratadas para trabalhar devem ter o perfil da vaga, como conhecimentos (o que o candidato deve conhecer para ocupar o cargo), habilidades (o que o candidato deve saber fazer para ocupar o cargo), competências (que comportamentos que geram resultados o candidato deve ter, incluindo características pessoais e profissionais) e experiência profissional (que experiências profissionais o candidato deve ter para assumir o cargo).

    Sendo assim, acredito que o processo de seleção mais adequado, é o processo por competências, onde de fato se contrataria alguém que você precisa, tendo menos chance de errar, pois contratar pessoas erradas custam caro a empresa.

    Já ouvi muitas pessoas de RH, que não posso considerar como profissional de RH, dizendo entre outras coisas, que as pessoas acima de 40 anos, não aceitam novos aprendizados, não aceitam novos desafios, pois são acomodadas e não aceitam lideranças mais novas.

    Desculpem, isso pode até acontecer, mas é com uma minoria, pois no mundo de hoje, onde vivemos a era do conhecimento, o aprendizado acontece a todo o momento e a grande maioria destas pessoas estudam, fazem cursos, fazem networking, tudo para se manterem atualizados, sempre com vontade de aprender coisas novas para crescer cada vez mais.


    Quanto ao fato das lideranças mais novas, também não existe problema, o que existe sim, são líderes menos preparados do que as pessoas que estão abaixo desta liderança, causando descontentamento, mais este descontentamento e as vezes resistência, não acontecem apenas com as pessoas acima de 40 anos, acontecem também com pessoas mais novas, pois neste momento, não se olha para a idade e sim para a competência do líder.

    Muitas empresas optam por contratarem pessoas mais baratas, ou por que foram indicadas por um amigo, um diretor e etc.. Nem sempre o mais barato é o melhor, mas se for, não ficará ali por muito tempo, e também nem sempre as indicações são ruins, pelo contrário, elas são bem vindas, mas precisam ter as competências necessárias.

    Vamos por favor olhar para esta triste realidade e dar oportunidades iguais para todos, sem discriminações e/ou preconceitos, as empresas devem priorizar ter os melhores profissionais e não os mais amigos ou os mais baratos e de uma forma mesclada, mais experientes e menos experientes, pois todos aprendem, ninguém conhece tudo, mais alguns conhecem pouco.

    Depois de tudo isso colocado, queremos saber. Qual o real problema em contratar profissionais acima de 40 anos?

    Se Você passou por alguma situação em que sua idade foi o principal motivo da não contratação vamos conversar e reverter esta situação e saber o que o mercado espera do profissional do futuro.
  • Onze passos para transição de carreira bem sucedida

    Como coach especializado na área de posicionamento de carreira, recolocação profissional, mentor de profissionais em transição de carreira e coaching de produtividade, não posso negar a gravíssima situação do mercado de trabalho. Afinal, temos 12 milhões de desempregados em todos os níveis – do chão de fabrica às suítes presidenciais.

    Entretanto, a despeito dessa grave crise, defendo a seguinte tese: “O mercado de trabalho sempre tem e sempre terá um lugar especial para um profissional com algumas das virtudes acima mencionadas. Eu nunca vi um profissional excepcional ficar muito tempo desempregado, por pior que seja a crise.” Afinal, é em época de grave crise que as empresas necessitam de profissionais altamente preparados, otimistas, valentes e corajosos. Líderes de verdade e não apenas gestores.

    Reconheço que é muito difícil reunir todas as virtudes acima mencionadas em uma única pessoa. No entanto, isso não significa que elas não devam ser perseguidas ao longo de uma carreira.  Elas devem, sim.  Todo “profissional diamante” sabe que ele, como a ave fênix, tem que se renovar a cada instante de sua vida, por mais confortável que seja a sua zona de conforto. Renascer na ousadia, na inteligência, no conhecimento técnico, gerencial e humanístico, no comportamento, na atitude, no relacionamento, no desenvolvimento de novas estratégias para os negócios, entre inúmeras outras.
    Procurando emprego?
    Antes de mencionar “Os onze passos de uma transição de carreira bem-sucedida, permita-me avisá-lo que esses passos não são  infalíveis. Eles são citados apenas para orientá-lo em sua procura por novo emprego. Cada situação é diferente. Portanto, sua travessia no deserto pode exigir passos não tratados neste artigo. De qualquer maneira, leia-os com verdadeiro desejo de conquistar sua nova posição:

    ·   Ao ouvir a noticia de sua demissão, vire a página imediatamente. Não fique ruminando como as vacas ou os bois. Você jamais construirá um futuro brilhante olhando para o seu passado. Afinal, como diz a sabedoria popular, “Águas passadas não removem moinhos.” Aceite-a com serenidade. Existe vida e vida em abundancia aqui fora no mercado de trabalho.

    · Construa uma agenda pessoal de trabalho que o resgate da zona de conforto e maximize o seu tempo. Comece o seu dia com objetivos bem definidos. Não desperdice o seu tempo com atividades que em nada o ajudarão a fazer a travessia no deserto com sucesso. Portanto, reserve tempo para a leitura de jornais, ler um bom livro, navegar na internet, empreender os seus contatos, fazer os seus telefonemas, perder peso (se estiver acima do peso ideal), etc

    · Prepare-se cabalmente para falar com as pessoas de seu relacionamento ou não. Não subestime essas ocasiões. Seja elegante e profissional. Conheço muitos profissionais que a despeito de tudo que ouviram sobre a necessidade desse preparo, mesmo assim comportaram-se como tolos e desperdiçaram inúmeras oportunidades de trabalho.

    ·  Exiba-se nas redes sociais – LinkedIn, Facebook, Twitter – com uma imagem profissional positiva, atraente e de um profissional bem sucedido. Um simples desleixo pode custar-lhe a conquista de um novo trabalho. Cuidado como você se apresenta. Leia um bom livro sobre como usar o LinkedIn ou qualquer outro canal em seu benefício.

    · Espelhe-se naqueles profissionais que são superiores a você em alguma coisa. Imite-os e adote quando possível suas atitudes vencedoras. Este foi um dos conselhos mais inteligentes que ouvi de meu pai, um homem simples, humilde, porém sábio.

    ·  Proteja a sua família. Não alimente a desesperança e as excessivas preocupações. Viva cada dia, cada hora e cada minuto. Afinal, por pior que seja a desgraça, ela nunca durará para sempre. Administre com racionalidade e sabedoria esse momento de sua vida. Tudo passa.

    ·  Nunca se posicione como vitima do capitalismo, de sua empresa ou ex-chefe. Ninguém terá pena de você. Muito pelo contrario, até mesmo os seus amigos se afastarão de você. “Controle o seu destino ou alguém fará por você de maneira perversa” é um Mantra que repito todos os dias.

    ·  Administre suas finanças pessoais e familiares com total rigor e como se estivesse vivendo em período de guerra. Portanto, olhe bem onde você gasta cada centavo. Aqui vale repetir a advertência: “Cuide de seus centavos e os milhões cuidarão deles próprios.”

    · Vá ao mercado de trabalho com uma atitude positiva, ousada e enérgica e com total autoconfiança. Lembre-se que ninguém tem respeito ou cultiva admiração por um profissional fracassado. A sociedade somente cultua os vencedores, mesmo que eles muitas vezes não sejam os melhores exemplos.

    · Use o poder persuasivo de sua linguagem corporal – ande sempre de cabeça erguida, ombros arqueados, olhos brilhando, aperto de mão firme, tom de voz que demonstre segurança e credibilidade. Além disso, vista-se para o sucesso. Afinal, você não está mendigando um emprego ou pedindo um favor. Você está sim vendendo a sua experiência, conhecimento, atitude, educação, cortesia e potencial humano.

    · Utilize todos os canais de prospecção existentes. Não fique apenas sentado diante de uma tela de computador esperando que alguém o descubra ou que você encontre uma posição no mesmo canal. Esse é um erro gravíssimo que muitos profissionais cometem nessa fase de suas carreiras. Vá em busca das “Hidden Positions”, aquelas que não são comunicadas abertamente ao mercado e muito menos confiadas aos headhunters ou postadas no LinkedIn. Para encontrar essas oportunidades, você tem de sair de sua zona de conforto e ir para onde o povo está, como diz o cantor popular. Caso tenha oportunidade dê entrevistas, publique artigos, faça-se presente na mídia.

    Se quiser saber mais entre em contato e busque se posicionar no mercado de trabalho de forma efetiva, aguardo Você.
  • Vamos teclar no Whatsapp?

    Clique ao lado e mande sua mensagem! Vou te atender tão breve receba o seu contato.

    LOCALIZAÇÃO

    Rio de Janeiro, Brasil

    EMAIL

    contato@luetilneto.com.br
    luetil.neto@gmail.com

    TELEFONE

    +55 (21) 964 557 814

    CELULAR

    +55 (21) 964 557 814